MEUS INCENTIVADORES- GOSTARAM E FICARAM!!

domingo, março 27, 2011

Não pode ser amigo quem não ama incondicionalmente




Admitir fraquezas é as vezes complicado, mas quero falar de uma das muitas  que  tenho. ….minha necessidade viseral por amigos. Tenho amigos adoráveis…. Cada um à sua maneira, fazem parte da minha vida de um jeito especialmente único.
Nesta vida louca, ter amigos se tornou uma missão difícil, mas eu não tenho do que reclamar. Tenho a sorte, ou a benção, seja lá o nome que isso tem, de ter do meu lado seres lindos, belos, pensantes, intrigantes, criticos, cultos, loucos e completamente amados por mim. Posso ficar sem ve-los por meses, anos talvez, mas sei que estão ali, se eu torcer o pé e der um berro, sei que alguém vai me segurar na mão e me acalmar, e é isso que faz a minha vida valer a pena, é isso que dá sentido a todas a minhas verdades…

A vocês amigos meus, que tantas histórias protagonizaram, amigos de  tantas trocas, de tantas vidas, de tantas vezes, é de vocês toda imensidão do meu carinho…..


“…..E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de
como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu
equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu,
tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto
pela vida.
Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado.
Se todos eles morrerem, eu desabo!
Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles.
E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida
ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.
Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles.
Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma
lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer 


Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da
vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando
comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e,
principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que
são meus amigos!….”

Vinícius de Moraes