Lembranças


O que fica no depois
É tudo o que não foi
O resto foi consumido
Até a última gota

O que fica no depois
É o que já não há
E oque poderia ter sido
Sem salvação, também se teria findo

Esse depois que amacia a carne já dura
Que o tempo molda e embeleza a textura
É o sereno suave que cai
Na pele crua, gelada, nua!


Elzinha Coelho

Postagens mais visitadas deste blog

Escolhas

Hodierno

Poesia? (Repostando)