MEUS INCENTIVADORES- GOSTARAM E FICARAM!!

sábado, fevereiro 16, 2013

Consentimentos


Não há encanto quando o canto em que se encontra está escuro
Não está maduro o fruto que no fundo ainda amarga
Não tem futuro a vida quando no passado ainda se prende
Nem há correntes que se arrebente quando estar cativo é o que te basta
Não existe jeito de ficar desfeito o que o peito ainda embala
Nem tem maneira, nem tem reza, nem magia, nem poesia que dê fim no que se quer para uma vida inteira!

Elzinha Coelho 

quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Sem Sentidos...


Desverbalizada, exageradamente pequena
Sentidos frouxos pousam em cama serena
Hiato raro na alma, carência de tema
Desintonizada  dos sentimentos humanos
Poetizando livre este insano dilema...

Elzinha Coelho

terça-feira, fevereiro 12, 2013

Até...


Até que alguém chegue
que algo aconteça
que se sinta a ausência
que se tenha vontade
que se mate a saudade
Até que alguém se apaixone
que nunca abandone
que não aprisione
nem tenha maldade
Até que não se canse
Até que não se perca
Até que não se mate
Até a próxima dança...


Quem sonha, espera... 
É no "até" que reside a esperança!


Elzinha Coelho

segunda-feira, fevereiro 11, 2013

Hoje "Nada" é alento

Hoje quero ser rasa
Rasa como um riacho
Nada de profundidades
Nada de "eu me acho"

Nadando. seguindo a corrente
Contente só por ser gente

Vento...vento...
Leva embora o pensamento
Traz um teco de alento
Afrouxa as horas do tempo
Faz-me flutuar mesmo sem rumo
Mas adormeça em mim o sentimento...


Elzinha Coelho

domingo, fevereiro 10, 2013

Amor Mal Resolvido

Parou!... No início do soluço
No meio do beijo
No final do pulso
Mãos que não mais se tocam...

Palavras ficaram presas
Não ousadas, não ditas...
Gemido guardado!
Guardado o apelo!

Não há mais espelho
Não há alegria
Nem tem fantasia
Somente agonia...

Do que poderia ter sido
Antes que o espelho caísse
Antes que a noite chegasse
Mas já era tarde... Já anoitecia...


Elzinha Coelho

terça-feira, fevereiro 05, 2013

Me fazendo todo dia


O mel no fel
O sol no céu
de todo dia

Refaço o traço
Reafirmo o abraço
E a alegria

E conto os passos
Com pés descalços
Sentindo o toque
Da grama fria

E é só o amor
E o seu calor
Prá transformar
A cor da dor...

Elzinha Coelho