Poetar


Me soa tão familiar os versos, depois que os escrevo, como se já existissem há tempos em algum outro lugar, antes daqui, antes de ser, antes de mim... Sem perguntas me deixo ser levada, e me engolem os verbos de sentidos definidos por alguma força que não é a minha e nem é sozinha. Força que dá forma a uma ideia que existe em algum espaço atemporal e que de algum jeito me mantem tenuemente ligada e eu me deixo ficar, me deixo ser, me deixo estar...

Elzinha Coelho

Comentários

  1. Olá amiga Elzinha!
    Lindo poetar...
    Gostei de ler-te.

    Agradeço por sua carinhosa visita!

    Beijos!

    Fernanda Oliveira

    ResponderExcluir
  2. Bom demais ler você querida Elzinha.
    É exatamente assim que me sinto quando escrevo, seja lá o que for, parece que tudo já existia em mim mesmo antes de eu nascer.
    Muito louco este sentir.
    Um grande abraço querida amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Maria Teresa, pelo incentivo que sempre me dá.

      Muito feliz por ter você aqui.

      Um beijo

      Excluir

Postar um comentário

Obrigada pela visita. Seu comentário é fundamental. Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Escolhas

Hodierno